LIBRE - CASA COLETIVA

Ter um espaço autônomo direcionado para produção cultural colaborativa é um desejo que transpassa artistas e grupos que, de alguma forma, necessitam de um local para executar suas demandas artísticas e projetos.

Com localização em Itararé - Vitória/ES, o Assédio Coletivo realiza a gestão da Libre - Casa Coletiva, espaço de produção colaborativa e desenvolvimento de projetos sociais e culturais. Sem financiamento privado ou público, a casa se mantém por projetos paralelos destas organizações e por eventos produzidos colaborativamente pelos dois coletivos - o lucro da venda de bebidas e alimentação é revertido para a manutenção do espaço.

A proposta é de que a casa se estabeleça como espaço de referência das duas organizações ocupantes e que ela seja aberta também para outras iniciativas de proposta colaborativa. Há também a perspectiva de ampliar o relacionamento com organizações da comunidade de Itararé e entornos, como Bairro da Penha e São Benedito, para desenvolvimento de projetos conjuntos e fortalecimento de vínculo com os moradores dessas comunidades.

Atualmente, a gama de atividades da casa compreende oficinas de linguagens artísticas e de temas relacionados à cultura e à produção cultural, exposições de artes visuais, exibições cineclubistas, lançamentos de produtos culturais. A casa é também espaço para debates, mesas de discussão e reuniões. A longo prazo, a tendência da Libre - Casa Coletiva é se tornar um espaço cultural autogestionado aberto ao público por meio do aumento da frequência de atividades e financiamento de projetos dos coletivos ocupantes e parceiros, que utilizem a Libre para seu desenvolvimento.

Histórico
A Libre - Casa Coletiva surgiu de uma vontade mútua do Assédio Coletivo e do Coletivo Femenina em ter uma sede ou local de encontro para dialogar a respeito do cenário local e produzir neste ambiente. Inicialmente localizada na Rua Nestor Gomes, no Centro Histórico de Vitória/ES, a Libre teve seu funcionamento de Junho a Novembro de 2013. A ocupação foi feita em uma galeria de dois andares, com cerca de 25m², composta de espaço livre no primeiro andar e um mezanino e banheiro no segundo andar.

Durante o período de ocupação da casa, Assédio Coletivo e Coletivo Femenina utilizaram o espaço para reuniões semanais, como galeria de exposição, para realização de eventos culturais e oficinas, bem como mantiveram o espaço aberto para reuniões e encontros de outros grupos artísticos da cidade de Vitória.

No ano de 2014 a Libre - Casa Coletiva muda de endereço e amplia sua proposta de espaço colaborativo. Os coletivos e empreendimentos ocupantes passam a ser Assédio Coletivo e Organização dos Cineclubes Capixabas (OCCa). A partir de 2015, a casa passa a ser ocupada somente pelo Assédio Coletivo. Localizada no bairro Itararé, a casa agora conta com cerca de 200m² - uma sala de oficinas, uma sala de convivência, três quartos (escritórios independentes), Ateliê Libre, duas varandas, dois banheiros e cozinha.